FELIZ VOCÊ NOVO!

dezembro 31, 2018

Ainda em busca da fonte, se você souber, me ajuda!!!
Existe uma coisa nas pessoas que faz com que elas não façam o que realmente querem. Alguns vão dizer que são condições que a sociedade impõe sobre nós, parâmetros e ideais que somos obrigados a cumprir e a abraçar como o certo na nossa vida, e o que eu tenho aprendido é que nós definimos isso.

Não vou ser hipócrita e te dizer que o meio em que vivemos não exige certas coisas de nós, afinal, eu sou a prova viva de que é verdade. Eu fiz faculdades tradicionais, tenho um trabalho tradicional, e posso afirmar com certeza que muitas das minhas escolhas são baseadas nos medos causados pelas pressões sociais que foram colocadas em mim sem que eu percebesse.

Esse texto não é um texto para apontar culpados por qualquer coisa, mas é para dizer que apesar dos pesares, tá tudo bem.

Os millennials carregam nos ombros as esperanças de todo um futuro que eles nem sabem se querem carregar. Somos bombardeados todos os dias com um milhão de informações, com a lista da Forbes de pessoas com menos de 30 anos bem sucedidas, com nossos pais apontando qual a trilha que devemos seguir para ter uma vida melhor, os encontros de família com os tios competindo pra ver quem tem o melhor filho, a faculdade que tem um ranking dos melhores alunos da sala, os milhares de digital influencers que a gente olha e imagina como seria legal viver um pouquinho do que eles estão vivendo, mas no final do dia, olhamos no espelho e não fazemos ideia do que queremos, de quem queremos ser.

Começamos todos os anos criando nossas próprias expectativas e sinto que sempre terminamos achando que não importa o que façamos, as coisas não serão como queremos. E não poderíamos estar mais errados. Para, reflete, olha pro seu ano e observa bem tudo que aconteceu. Deu ruim? Deu, mas garanto que teve coisa que deu bem certo também.

Para o próximo ano eu espero mesmo que nós, eu e você, possamos ser mais nós mesmos e menos o que os outros esperam. Quero que aprendamos a tirar o melhor das nossas escolhas e a levar os erros numa boa, afinal é na dificuldade que crescemos. Que quando nos sintamos perdidos e meio sem rumos, possamos tirar um tempo para nos reencontrarmos sem a culpa que muitas vezes nos persegue, e que esteja tudo bem ficar um dia sem fazer nada, porque não precisamos ser proativos todos os dias, 24 horas por dia.

Feliz ano novo, e feliz você novo!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.